segunda-feira, 21 de março de 2011

Lucidez


"Cuide-se como se você fosse de ouro, ponha-se você mesmo de vez em quando numa redoma e poupe-se." Clarice Lispector
Ouvi hoje de uma amiga que sou uma pessoa lúcida. Engraçado justamente este adjetivo, nunca havia me imaginado nele, ou talvez ele em mim. E foi então que dei de cara com a frase acima, declinada por Clarice Lispector. Para mim, de uma lucidez sem igual.
E então percebi que precisei de mil palavras para dizer exatamente o que Clarice transmitiu com uma simples frase.
Tenha tempo para você, curta o silêncio de sua própria companhia, quem sabe lendo um livro ou uma música de que goste... Medite, se olhe no espelho, veja que que história cada parte do seu corpo conta, o que seus olhos te dizem... Tenha tempo para você!
Porque família e amigos são importantes, mas nada é mais importante que amar a nós mesmos, tornarmo-nos a cada dia pessoas melhores, somente assim seremos uma boa companhia para o outro, se admirarmos quem somos e aprimorarmos nosso eu a cada dia.
Não adianta viver cercado de multidões e se sentir só, ter companhia e chorar sozinho no chuveiro. Sentir um vazio no peito e na alma, estar perdido fora de si mesmo.
Porque na vida a única certeza é a transitoriedade, tanto das tristezas quanto dos momentos de glória, e como você lida com eles é o que realmente importa.
Ninguém vive todo o tempo no auge, como também não há queda que nos mantenha com os joelhos no chão para sempre. Em algum momento você vai repirar fundo, apoiar um dos pés no chão e impulsionar o corpo para cima, até se colocar de pé novamente. E quanto antes o fizer, menores serão as dores pelo corpo, por ter ficado de joelhos. Ame-se!

2 comentários:

Letícia disse...

Não é a toa que Clarice Lispector é a minha imortal favorita, xará! "...Que minha solidão me sirva de companhia.
que eu tenha a coragem de me enfrentar.
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo." - Clarice Lispector
Só seremos capaz de realmente amar o próximo, na acepção plena da palavra quando formos capazes de nos amar, nos aceitar, pudermos entender que nada é absoluto e que ser sonhador não quer dizer irracional, muito menos ser lúcido seja antônimo de emoção. A transitoriedade da vida existe pra que entendamos que a gente pode cair, mas temos que levantar e seguir adiante, avante sempre, buscando sermos e fazermos o nosso melhor.

Gill disse...

Adorei meu amor...