sábado, 7 de junho de 2008

A luz de Gisele

Ontem foi o casamento de Gisele e seu Amor. Apesar de indicar, no convite, o horário de 20:15h, na Bahia existe uma cultura de ninguém ser pontual, então até os convidados se atrasam, imagine a noiva!
Como tudo foi organizado em pouquíssimo tempo, a cerimônia religiosa e a festa aconteceram no mesmo espaço, o que, cá entre nós, é bem mais confortável para os convidados. O deslocamento é um só, ficam todos sentados já confortavelmente bebericando enquanto esperam os noivos. Muito melhor que uma igreja quente, com todos suando horrores, bico seco, e o inconveniente de depois ter que iniciar uma peregrinação até o local da festa...
Acho que ficou meio óbvio minha aversão a este tipo de festa, detesto casamentos. O padre/pastor/bispo/pai de santo/ médium ou sei lá mais o que já há disponível hoje, com o mesmo discurso empoado, volta e meia errando no nome da noiva ou do noivo.
Não é exagero! Noutro casamento de uma grande amiga de infância o padre errou o nome dela TODAS as vezes durante a cerimônia, além de ter mencionado o segundo nome, que ela odeia. Imagine, pior é saber que pagaram para ele estar ali, “dando sua benção”...
Sem contradição alguma, adoro Bodas de Prata, Ouro, Diamante... Ali sim, há verdadeiramente um casamento a ser comemorado. Uma vida de idas e vindas, amor e desentendimento, mas prevalecendo aquele. As amigas de minha mãe estão nesta fase, assim como algumas tias. E compareço a essas festas com todo prazer do mundo, felicíssima em ver a família formada, com filhos, netos, bisnetos... O casal ainda disposto a demonstrações públicas de afeto, a valsar e tirar fotos sorrindo, reafirmando o amor que os uniu muitos anos atrás. LINDO.
Nas últimas semanas fui acometida de uma gripe sem fim, estou há dias sem dormir nem comer direito, agora na fase da tosse de cachorro. Mesmo assim, cheguei em casa, após um longo dia de trabalho, como todos os outros, tirei forças nem sei de onde, e fui, com meu Amor, para o casamento de Gisele.
Pura consideração, a alguém que, em tão pouco tempo, me cativou. Falei dela antes no blog, quando soube que ela nos deixaria para ir com seu Amor rumo à Capital Federal. Fiz questão de ir ao casamento, para dar-lhes as minhas bênçãos, meus desejos de boa sorte, felicidades, saúde na nova vida que se apresenta à frente dos noivos, agora recém casados.
Gisele era uma das noivas mais lindas que já vi, radiante, cheia de luz, de alegria em estar realizando um sonho: casar com o homem que ama. Lindo mesmo.
À parte, a mesa do pessoal do trabalho, presentes estavam Agnes (maquiagem e cabelos impecáveis) e seu irmão, Saldanha com a Sra. Saldanha (que atrasaram mais que a noiva...), Fabíola (de cabelos novos), minha grande Amiga, com seu noivo Gaúcho.
Infelizmente, devido ao meu estado de saúde, não pude coletar informações suficientes para uma resenha decente no blog, até porque, o que mais importa é desejar aos queridos e lindos noivos muitas felicidades. Mas, vou dar continuidade aqui à enquete iniciada pelo meu amigo Gaúcho: qual a capital de Porto Alegre?

Um comentário:

O Menino que Voa disse...

Enquete: eu voto no Bairro Cidade Baixa, o bairro boêmio da cidade. Com suas ruas Lima e Silva, João Alfredo e República. Quanto ao casamento, parabens aos noivos. Afinal, estar com quem se ama parece propaganda do mastercard... NAO TEM PREÇO